segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Resenha: Traços (Eduardo Cilto)

traços eduardo cilto


Já faz uns meses desde que decidi que faria essa resenha em vídeo, mas, infelizmente, não consegui. Deu uns probleminhas no editor e cês já sabem. Enrolei, enrolei, enrolei e acabei dando uma chance para ela aqui no blog. Temo que essa resenha fique muito grande. E eu que, como é de costume, tendo a resumir as coisas a fim de torná-las menos cansativas, sinto que quando mais eu falo de Traços, mais vontade eu sinto de falar dele. Traços é um puta dum livrão, mano. 

Precisei de um tempo para decidir por onde eu deveria começar. A minha cabeça lateja com a quantidade de informações que o livro nos dá, então achei interessante falar sobre a minha dificuldade em ligar os pontos, mal que o Eduardo aparenta não sofrer. É como se ele tivesse nascido para isso.

Nos últimos meses tenho tentado escrever o meu primeiro (e único) romance. Tenho tido muitas ideias, mas não estou sabendo como organizá-las. Tenho me dedicado a tantos projetos que talvez a falta de foco tenha tomado toda a minha atenção e me impossibilitado de pôr no papel o que eu tenho em mente. Por isso não consigo fazer algo harmonioso, como geralmente deve ser. E, caramba, ele soube fazer isso muito, muito bem, e ainda ousou, não se contentou com só isso, o livro é cheio de reviravoltas e em momento nenhum você se cansa com a narrativa.

Depois de uma noite atípica, Beatriz convence Matheus que o futuro dela pertence a São Paulo. Ele, como um bom trouxa que é, e com ajuda da conspiração favorável do universo (essa descrição ficou bem de humanas, né?), topa se aventurar nessa como companhia de sua melhor amiga. Eles partem rumo a cidade grande, e para ajudar a entender, eu dividiria o livro em três grandes núcleos - a cidadezinha, a estrada e a cidade grande-, e, mais uma vez, parabéns ao Eduardo por essa desenvoltura. Que narrativa!

Eu vi muito do Eduardo nesse seu primeiro romance, começando pelo Matheus. Imagino o Eduardo Cilto exatamente como o Matheus, exceto pelo fato de que ele gosta de livros e o Matheus não. Fora isso, acredito que seja a mesma pessoa com poucas diferenças que podem ter passadas despercebidas. Ademais, acompanho o Perdido nos Livros há pouco mais de um ano e meio, e existem coisas postas no livro que são dele mesmo, e que por acaso, eu também gosto muito, como, por exemplo, American Horror Story, Lana Del Rey (Art Deco e Queria Estar Morta), Glee e até mesmo a construção de praticamente tudo com base no seu amado e idolatrado John Green.

Eu sou muito chato quanto a livros desse século, e principalmente com livros de youtubers, mas o Eduardo conseguiu superar muito, muito mesmo as expectativas. Sabia que ele seria capaz de fazer algo bom, mas nunca imaginei algo tão bom quanto Traços.

Também vale a pena falar do exemplar, que está uma maravilha por sinal. Meus parabéns, também, a toda equipe da editora Planeta. Está tudo muito lindo, desde as página, a arte da capa, capítulos tudo mais.

Editora: Planeta / Páginas: 270 / Ano: 2016
ISBN: 8542207475 / Nota: 5/5

Minhas Redes Sociais: 

Instagram - Twitter - Pinterest - Facebook

Nenhum comentário

Postar um comentário