quinta-feira, 3 de março de 2016

American Horror Story: Hotel

American Horror Story Hotel

American Horror Story: Hotel. Imagem: reprodução

Primeiro, superestimei essa temporada e, logo em seguida, a subestimei para depois superestimá-la de novo. Isso porque os primeiros episódios ainda estavam um tanto quanto deslocados, sem um propósito, então, por fim, conclui que ela foi ótima, principalmente se a compararmos com a anterior, mas ainda assim não superou o meu amor por Coven. 

Desta vez, a história se passa no Hotel Cortez, em Los Angeles - Califórnia, construído, na década de 20, e liderado pelo assassino em série James Patrick (Peter Evans), ele se torna propriedade de Elizabeth (Lady Gaga), através do casamento, após um caso amoroso que ela teve com os astros Rudolph Valentino (Finn Wittrock) e sua esposa Natacha Rambova (Alexandra Daddario).

Por meio de um ritual, a personagem da Lady Gaga, também conhecida como Condessa, ganha imortalidade e sobrevive longos anos a base de sangue. Para isto ela conta com ajuda do seu amante Donovan (Matt Bomer) que também é seu braço direito quanto para aumentar seu exercito de prisioneiros no Cortez. 

Na quinta temporada, Wes Bentley é John Lowe. John é casado com a médica Alex Lowe (Chloë Sevigny) - com a qual esteve em crises após o desaparecimento do seu filho Holden - e  é o detetive a frente das investigações referentes as mortes ligadas ao Hotel Cortez, e violações dos Dez Mandamentos. 

Há muitas alusões a primeira temporada, Murder House, e elas não passam despercebidas, tanto as refentes as mortes - uma vez morto no hotel, você estará destinado viver nele por toda eternidade - quanto às personagens, como médium Billie Dean (Sarah Paulson), a corretora Marcy (Christine Estabrook) e o médico Charles Montgomery (Matt Ross), que estão nessa temporada. 

Além do figurino, cenário quero dar os meus mais sinceros aplausos a esse elenco. Sentimos a falta da maravilhosa veterana Jessica Lange, o que é uma pena, mas, em contrapartida, Lady Gaga mostrou que é uma artista e tanto. Gostaria de destacar também Peter Evans por mais um belíssimo trabalho, Sarah Paulson e Denis O'Hare, Vocês são de foder. 

Nenhum comentário

Postar um comentário