terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Respire

Respire filme
Imagem: reprodução
Meu blog está virando uma parada gay e eu estou amando isso aí, hein. Escolhi Respire para cumprir com o Desafio Mais Cultura 2016 e foi uma ótima escolha tanto pela história, elenco, quanto pela minha recém descoberta - pós A Família Bélier - que filmes franceses são tão incríveis quanto filmes brasileiros, e essa foi uma oportunidade maravilhosa de conhecer um pouco mais sobre o cinema dessa terra que pouco conheço, mas já considero pakas. 

Vinda da Nigéria, Sarah (Lou de Laâge) é uma mentirosa compulsiva que se aproxima de Charlie (Joséphine Japy) em busca de companhia em solo francês. Sua amizade foi tão rapidamente construída e de forma tão avassaladora que Charlie já não estava mais certa dos seus sentimentos acerca da amiga, assim, entrando numa deprê sinistra que a faz cometer umas loucuras lá no final do filme, mas shhhh não te contei nada.

Respire filme
Imagem: reprodução

Eu achei o roteiro um pouco confuso para construção a história. Mélanie Laurent precisou trabalhar um pouco na redução de informações desnecessárias porque ficou um filme curto, com muitas informações que não foram bem digeridas por mim, telespectador, e informações mais importantes passaram despercebidas devido a toda atenção tomada para algo que não precisava estar ali. O filme tem mensagem mais importante a ser passada do que ser um problema uma virgindade aos 17 anos de idade.

Mas em questão de luz e enquadramento, o filme está impecável. Mais uma vez tenho a dizer que amo as cores que são usadas e os reflexos nos vidros que aumenta mais esse sofrimento dramático e totalmente apaixonável.

Outra coisa que chama bastante atenção é a atuação dessa galera. Lou e sua personagem odiavelmente apaixonante rouba a cena com tamanha sensualidade e carisma que você não sabe se a odeia ou se cai aos seus encantos. O mesmo serve para Japy que faz uma personagem em prantos como ninguém jamais viu antes. E no filme também temos Roxane Duran, a Mathilde de A Família Bélier, atuando como Victoire e sua beleza incalculável.

Nenhum comentário

Postar um comentário