quarta-feira, 25 de maio de 2016

Mogli: O Menino Lobo (2016)

Mogli (2016)
Imagem: divulgação
Não estava nos meus planos assistir ao novo longa do Jon Favreau, mas essa vida de ter primos pequenos exige muito da minha pessoa, sabe? Para minha surpresa - porque, hoje em dia, eu não sou muito chegado em um filme infantil -, ele é realmente muito bom. 

Não sei por que, mas Mogli não faz parte do repertório de filmes que marcaram a minha infância. Na verdade, eu raramente ouvia falar sobre ele e só depois de grande que eu fui conhecê-lo melhor. E não entenda isso como aversão aos filmes da Disney, afinal, como poderia eu raramente ouvir falar dele mesmo ele sendo um sucesso e eu um viciado em animações da Disney? Tem algo muito estranho nisso aí.

Após ser resgatado pela pantera Bagheera, o órfão Mogli vive como e com lobos em uma selva indiana, na qual regras foram estabelecidas para o bem de todos. Para ser sincero, Mogli já estava dando trabalho, quebrando as regras porque lhe impuseram um papel que não lhe cabia: o de um lobo. E depois de chamar atenção do tigre Shere Khan, que acreditava que Mogli estava predestinado a exercer seu papel de predador-topo-da-cadeia-alimentar, o garoto precisou fugir assim que a alcateia foi ameaçada.

O filme tem duração de duas horas muito bem aproveitadas. Podemos notar sua partes - introdução, desenvolvimento e conclusão  - trabalhadas da melhor maneira possível, sem nenhuma falha notável ou lacuna no enredo.

Exceto pelo Neel Sethi, que interpreta o menino lobo. o filme é praticamente todo feito a base de animações, que, convenhamos, são de tirar o fôlego. Se eu mostrei entusiamos no com a qualidade das animações de Kung Fu Panda, pegue toda aquele deslumbre, triplique e talvez você tenha noção do quão bom Mogli: O Menino Lobo está. 

segunda-feira, 23 de maio de 2016

FLIB 2016

Flib Barreiras Bahia
Rolou, na semana passada, a primeira Festa Literária de Barreiras, e, sim, senhores, meu bonde e eu estávamos lá marcando presença. A FLIB, que aconteceu entre 18 e 22 de maio, foi promovida pela prefeitura de Barreiras, e colaborada por algumas faculdades e colégios da região, tudo em prol do incentivo à leitura e produção literária.

A FLIB faz parte da programação Maio Maior, em comemoração ao 26 de maio de 1891, ano da emancipação política de Barreiras, e além de lançamentos, o evento reuniu palestras, peças, debates e muita música.

Flib Barreiras Bahia
Flib Barreiras Bahia
Eu estava preparado para gastar minha fortuna de exatos R$ 12,00 (estou de zoas), mas aí acabei ganhando um livro maravilhoso sobre ativismo LGBT. Como nada mais me interessou, não vi necessidade de comprar mais nada, visto que estou com uns quantos à minha espera. Espero ter tempo para lê-lo ainda este semestre - mesmo que isso soe um pouco ilusório com essa rotina que estou levando.